PREPARAR O NATAL


DSC00579*
O Natal é dose. Não me levem a mal, eu adoro o natal e desde que tenho filhos, mais ainda.
Mas é fácil cair na esparrela da imagem do Natal idílico que nos entra pelos olhos adentro em todo o lado e sei, por experiência própria, o fácil que é criar expectativas que só abrem caminho para frustrações.

Além disso, tudo bate mais forte na altura de Natal, pela saudade dos que já não estão, porque não é possível juntar a família toda, porque na tentativa de agradarmos a todos nos perdemos de nós mesmos, porque deixamos sempre qualquer coisa para a última e é um stress, etc.

É fácil perder o norte. Já me aconteceu (e acredito que já tenha acontecido a alguns) chegar o dia e perceber que não preparei o meu coração e o dos miúdos para o curtirmos como gostaria.

Cá em casa costumamos iniciar as hostilidades com a Carta ao Pai Natal e, por muito que lhes dê a ensaboadela do espírito de natal, a verdade é que esta tende a parecer-se demasiado com uma lista de compras (que nós, adultos, nos esforçamos por cumprir, às vezes sem pensar muito).

E quando o excesso acontece, o resultado é um monumental e vazio rasganço de papel que acaba com a pergunta: já não há mais? Não é bonito e dizes envergonhada, para ti própria, não era nada disto.

O melhor presente que podemos dar é atenção e tempo em família e, para equilibrar os níveis de euforia do consumo e do açúcar (não sei bem como mas, dos bolsos deles nascem doces diariamente), adoptei como estratégia há uns anos fazer um calendário de advento com mini tarefas para todos, que nos aproximam uns dos outros e do sentido do natal.

Não é preciso complicar, o calendário pode passar por uma coisa tão simples como deixar um bilhete na mesa do pequeno almoço com o recado do dia. O importante é que as mensagens sejam adequadas à idade de todos, que nos dêem momentos em família e sejam fáceis de integrar no dia a dia.

Já não sei onde fui buscar a inspiração quando fiz o primeiro, mas vou fazendo revisões anuais para manter a coisa em sintonia com as rotinas cá de casa. Desta vez, encontrei este que me ajudou com novas ideias e o resultado está aqui:

  1. Hoje vou fazer presépio e árvore de natal.
  2. Hoje vou elogiar um amigo.
  3. Hoje vou fazer alguém rir.
  4. Hoje vou doar um livro à biblioteca da escola.
  5. Hoje vou dar um abraço a alguém.
  6. Hoje vou deixar uma mensagem simpática para alguém encontrar.
  7. Hoje vou telefonar a alguém longe para dizer olá.
  8. Hoje vou ajudar alguém em casa numa tarefa
  9. Hoje vou sorrir a todos que encontrar.
  10. Hoje vou cantar músicas de natal.
  11. Hoje vou doar comida a quem precisa.
  12. Hoje vou ver um filme de natal.
  13. Hoje vou fazer e enviar postais de Natal.
  14. Hoje vou fazer uma oração por uma intenção especial.
  15. Hoje vou fazer levar um presente para minha professora.
  16. Hoje vou doar um brinquedo.
  17. Hoje vou celebrar o solstício.
  18. Hoje vou arrumar o meu quarto e pôr de parte os brinquedos que não preciso.
  19. Hoje vou fazer um presente para os meus padrinhos.
  20. Hoje vou perdoar.
  21. Hoje vou escrever 3 coisas que agradeço.
  22. Hoje vou segurar a porta para alguém passar.
  23. Hoje vou fazer bolachas para os meus vizinhos.
  24. Hoje vou ouvir sem interromper.

Esta é das tradições familiares que mais gostamos cá em casa e que nos faz viver o Natal desde o dia 1 de Dezembro.
E por aí, que tradições ou estratégias de natal têm?

É designer gráfica. Vive em Lisboa e tem dois filhos. Gosta de dias que se desenrolam sem planos, de caminhar, de fotografia e não passa sem doses maciças de sol. Da vontade de abrir caminho para uma vida mais simples, em sintonia com o seu ritmo e o da natureza, inicia o blogue Slower em 2015. Dois anos depois, abre a casa a colaborações e torna o Slower numa comunidade participativa. Acredita que um dia ainda vai fazer um inter-rail com os filhos e que eles vão gostar. É uma optimista.
PARTILHAR Tweet about this on TwitterShare on FacebookPin on PinterestGoogle+Email to someone

2 Comments

  1. parabéns pelo slower e por todas as fotografias,
    conseguires dedicar tempo a fazeres qualquer coisa mais para além da rotina diária já me parece excepcional!

    não sei se cumprirei toda a tua lista, mas o número dois fica aqui registado e muito bem merecido,

    beijinho querida amiga que há tanto tempo não vejo!

    p.s. – talvez acrescentar: combinar café com amiga do antigamente 😉

COMENTAR