SETE DIAS, SETE PRATOS · CONSTANÇA CABRAL


A nossa primeira convidada do Sete Dias Sete Pratos é, desde há muito tempo, uma grande inspiração para mim e devo-lhe muitas mudanças que fiz na minha vida (embora, provavelmente, ela não o saiba). Tive também o privilegio de a ter a contribuir para o meu livro com os seus “eco-sacos para fruta e legumes” que são hoje fundamentais nas minhas idas às compras.
Já tive o prazer de a conhecer pessoalmente na sua última vinda a Portugal e, apesar de nunca ter experimentado um dos seus pratos, tenho a certeza que é uma excelente cozinheira. Depois de lerem e verem a fotos vão perceber!LER MAIS

#VIVERDEVAGAR · SETEMBRO


@earth.sustainable.living

Setembro, da luz dourada, dos dias mais curtos, das praias vazias, de voltar a casa. É um dos meses mais importantes para mim e, creio que para muitos de vocês também. O dos recomeços, dos novos projectos e intenções renovadas.

Como sempre, foi inspirador seguir as vossas partilhas de fotografias e momentos #viverdevagar. Dá um gozo do caraças ver esta galeria e comunidade crescer.LER MAIS

SETE DIAS, SETE PRATOS · MARIA CORDOEIRO


@lucianevalles

A série Sete Dias, Sete Pratos, que tem hoje início irá trazer – todas as semanas – ao Slower um convidado especial para partilhar connosco sete sugestões para sete refeições de forma a que os nossos leitores possam ter novas ideias para planear as suas refeições.

A ideia é, também, introduzir quem apresenta a ementa. As suas rotinas do dia-a-dia. Como fazem para conciliar a cozinha, o trabalho e a família. Se gostam de cozinhar ou se dispensavam. Como é que cozinham. Sozinhos, descalços, com música, sem avental. Em família, com amigos ou em jeito de programa romântico. Se têm alguém que o faça por vocês ou se gostavam de o ter. Se cozinham mais depressa ou bem devagar. Se é uma tarefa que fazem diariamente, esporadicamente ou se gostam de “despachar” e armazenar uma série de refeições de uma só empreitada.LER MAIS

7 RAZÕES PARA CRIAR UMA DESPENSA SAZONAL



Há cerca de 5 anos atrás trouxe de uma feira de velharias o clássico conjunto de caixas farinha-grão-acúcar-arroz-etc. Eram lindas de morrer e ficaram a matar na cozinha. Eram também enormes e durante alguns anos não lhes dei outro uso que não o decorativo. A verdade é que o pacote de 1 kg de grão ou arroz que comprava ficava lá a boiar. Estas caixas pertenciam claramente à geração que mantinha e se abastecia na sua despensa.

Nessa altura, as famílias eram mais numerosas, quer pelo número de filhos ou pelo facto de agregarem tios, avós e às vezes até, outra família. A vida era difícil mas, se por um lado havia menos poder de compra e diversidade de produtos disponíveis – nunca se tinha ouvido falar em feijão mungo ou quinoa, aposto – por outro, de uma maneira geral, as pessoas eram mais auto-suficientes. Quem vivia nas cidades, mantinha uma ligação próxima à terra da família, onde se abastecia de tempos a tempos. Além disso, as hortas urbanas proliferavam e era comum haver galinhas e coelhos nos quintais lisboetas.LER MAIS

SLOWER (RE)START


Enquanto lá fora a luz já é de Outono e anuncia o recolhimento que aí vem, a cidade, alheia, fervilha nos últimos dias. Tivemos eleições, o trânsito não tem dado tréguas, os miúdos fazem-se à vida em escolas novas, trocámos os pés descalços por sapatos e há passes de metro a serem feitos, enquanto folhas secas se acumulam no chão. É a mudança de estação e está tudo bem, depois de um Verão saboreado sem pressas.

Dentro de casa, o que já não tem uso vai fora, destralha-se mais um pouco, limpam-se vasos de plantas que não sobreviveram à seca e arruma-se a casa para nos aninharmos. Em nós, sente-se uma energia de recomeço. Há um movimento de mudança e novas possibilidades no ar. Nada disto, no entanto, vem sem a sua dose de incerteza e desconforto. Para nós e para o olhar atento, sempre pronto a estranhar os desvios de comportamento, dos que nos são mais próximos e geralmente mais resistem ao nosso quebrar de padrões.

LER MAIS

#VIVERDEVAGAR · AGOSTO


@andreiacostahandmade

Agosto vai longe. Passou com vagar, como que se quer, e a galeria #viverdevagar encheu-se dos vossos bons momentos slow. Gozar o parque até escurecer, jantares na rua, juntar a família, muitos mergulhos, hortas florescentes e momentos de pausa.

Para mim, que trabalhei todo o mês, foi tempo de gozar a cidade vazia, fins-de-semana a vadiar e dias sem crianças. Umas quase-férias, na verdade e, foi com gosto que fui acompanhando as vossas.

Para quem chega agora agora ao slower, uma breve explicação: o desafio #viverdevagar no instagram é um convite que a Maria e eu vos fazemos, a registar, valorizar e partilhar os vossos momentos slow.LER MAIS

CRIANÇAS SAUDÁVEIS, FAMÍLIAS FELIZES · UMA RECEITA E UM GIVEAWAY


foto @inesananashortela

Lembro-me quando participámos no nosso primeiro workshop de alimentação saudável há uns 4 anos atrás. Nessa altura, eu andava à procura de eliminar os alimentos processados cá em casa e queria conhecer alternativas. Para a Raquel, começava nessa altura, a surgir um interesse maior num estilo de vida saudável e por isso desafiei-a a participar nesta manhã de aprendizagem informal em casa de uma amiga.LER MAIS

REGRESSO ÀS AULAS SEM DESPERDÍCIO


Setembro à porta, provavelmente o mês em que as famílias portuguesas mais gastam. Primeiro vêm os livros, os polémicos livros. Mudam umas vírgulas, muda o ISBN e toca de comprar livros novinhos. Mas este artigo não é para falar disso e sim de formas de reutilizar, poupar a nossa carteira e comprar bem. Pelo nosso bolso, pelo ambiente e por crianças que estimam o seu material escolar.
Uma das coisas que ajuda neste processo, é sem dúvida adiantarmo-nos e tratar destas coisas com tempo. É certo que muitas vezes os professores só dão a lista de material no primeiro dia de aulas, mas sabemos que há material que se repete de ano para ano.
Podemos começar por juntar tudo o que temos em cima da mesa da cozinha ou de jantar, fazer um ponto de situação do material escolar e uma lista do que poderá ser realmente necessário adquirir.LER MAIS

#VIVER DEVAGAR . JULHO


@alexandra__palma

Passou um mês desde que o desafio #viverdevagar foi lançado e tem sido tão bom ver esta galeria crescer e crescer! Cerca de 600 fotografias com este hashtag, de partilha de momentos slow e onde podemos encontrar uma comunidade de pessoas que querem viver de forma simples e mais devagar. Obrigada por participarem!

Como prometido, aqui fica uma selecção – díficil, digo já – dos vossos dias com sabor a verão, cerejas, banhos no tanque, ameixas, campos dourados, ronha e hortas abundantes.

LER MAIS

VIAJAR COM CRIANÇAS, O QUE APRENDI


Desde miúda amealhei para viajar mas, nos últimos 10 anos, conto pelos dedos as vezes que atravessei a fronteira. Não sou uma viajante com grande rodagem, muito menos com crianças. Talvez por isso, das muitas coisas importantes que esta primeira viagem com os meus filhos me trouxe, tenha ficado uma aprendizagem ainda maior. Partilho algumas lições e outras ideias que saíram reforçadas desta volta.

GERIR EXPECTATIVAS
Talvez o que de mais importante retive do que li sobre viajar com miúdos antes de partir. A máxima “preparar o pior e esperar o melhor” é o mantra de qualquer viagem e com crianças a bordo é essencial. Baixar ou gerir expectativas não chega. O melhor é mesmo largá-las.LER MAIS