DESTRALHAR . 1º MÊS


Slower . Desafio Destralhar

Passou o 1º mês do Desafio Destralhar e a mudança já se começa a sentir, física e mentalmente. O balanço destas primeiras semanas tem sido muito positivo e está-me a dar tanto gozo olhar em volta, tirar estas fotografias e ver como tudo está mais arejado e bonito, que estou cheia de vontade de avançar para as próximas etapas. Tem sido um processo mais simples do que esperava, muito graças a esta cábula, ferramenta sem a qual estaria perdida.

SEMANA 1 . ROUPA
Afinal a etapa da roupa foi bem mais fácil do que imaginava. Ao espalhar no chão tudo o que tinha nos armários e gavetas tornou-se muito clara a distinção entre a roupa que queria guardar e a roupa que já não pertencia ali. Boa parte já não era usada há muito tempo e não me trazia alegria nenhuma. Coisas que já não fazem sentido, pois fizeram parte de uma situação passada, em que a vida era diferente.
Ficaram 3 gavetas e 1/3 de armário livres, além das outras gavetas estarem bem mais folgadas e de já não ter roupa pousada no fundo do armário.

Slower . Desafio Destralhar

SEMANA 2 . PAPEIS
As mesas, cómodas e estantes passaram a acumular menos papel e todos os que me passam pelas mãos seguem muito mais rapidamente para a reciclagem ou para o lugar devido. Sim, agora existe um lugar para todos os papéis que se guardam, onde antes reinava a desorganização.
Depois de começar este processo, boa parte do papel passou a ser barrado logo à entrada de casa, o que também ajuda. Já antes deste desafio, a maioria das facturas lá de casa eram digitais, mas há sempre alguma empresa que ficou esquecida e que nos continua a enviar cartas, cupões etc. Esta é uma boa altura para rever essa situação, ou mesmo para cancelar subscrições.

SEMANA 3 . LIVROS
Fora livros de arte e artesanato, que guardo bem guardadinhos, a minha biblioteca que já era um bocado minimal, passou a ser ainda mais. Assim, dos livros de ficção, guardei só mesmo os romances que me marcaram e que um dia vou passar aos miúdos. Dei alguns que sei que nunca iria ler e os outros, que li, mas que estão lidos e que muito provavelmente não voltarei a ler, mesmo que os tivesse na prateleira mais 30 anos.
A biblioteca das crianças, pelo contrário, estava a rebentar pelas costuras e era mesmo preciso fazer uma selecção. Assim, guardei os livros que considero mais especiais e dei os dispensáveis à biblioteca da escola, para libertar espaço para novos.
O lugar dos livros infantis cá em casa é numa prateleira no corredor. Isto acontece porque tendo os miúdos idades tão próximas, acho que é bom estes estarem disponíveis para os dois num território comum da casa. No entanto, este é também apenas um lugar de passagem e o menos luminoso da casa. Para dar a volta a esta situação e terem alguns mais à mão, reutilizei umas caixas de vinho e organizei-lhes uma mini montra em cada quarto. Aqui os livros vão rodando e de tempos a tempos introduzo novidades, algumas vindas do stock da minha infância devoradora de livros.

Slower . Desafio Destralhar

SEMANA 4 . ESTACIONÁRIO
Em resultado de tanta arrumação, descobri que tenho um stock de lápis para dar e vender, agora todos afiadinhos, e também uma vasta colecção de envelopes, que passaram a morar todos na mesma pasta. A razia pela papelada permitiu também libertar-me de alguns dossiês e pastas e arranjar um lugar certo para cada coisa, conseguindo assim ter assim as gavetas arrumadas sem grande esforço.

Slower . Desafio Destralhar

E por aí, como tem corrido? Gostava muito de saber quais têm sido as vossas dificuldades, conquistas e, claro, sugestões.

Agora é arregaçar as mangas para a próxima etapa: multimédia, material de artes e manualidades, brinquedos e higiene pessoal.

Se ainda não o tens, descarrega aqui o Guia para Destralhar a Casa

 

PARTILHAR Tweet about this on TwitterShare on FacebookPin on PinterestGoogle+Email to someone

8 Comments

  1. Slower, acho que só posso responder depois das mudanças, mas é tão bom ver o vazio dos cabides e espaço nas gavetas! Despachei também vários livros pelas mesmas regras q usaste. Outros romances da moda vendi on-line dando espaço e dinheiro para as dezenas de livros que estou a ler para a tese. Se ser feliz é ter menos, então acho estou a conseguir algo mais! Saber dizer no super: não quero essa embalagem, não tenho espaço no congelador, etc. Continua a inspirar que vou bem atenta! 😉

  2. Vivo eternamente neste dilema. A acumulação é de tal ordem na minha casa que nunca sei por onde começar e depois demoro tempos infinitos a dar destino às coisas, o que faz com que o destralhar num sítio vá criar um novo local de tralha, a que é supostamente para dar. Para além disso tenho necessidade de me desfazer de coisas grandes, como móveis por exemplo e o tamanho das coisas e dificuldade em movê-las faz com que desista antes de começar. Também tenho o livro, mas a tua lista é super interessante. No entanto eu sou, claramente, o exemplo do fracasso nestas coisas:(

    1. Olá Sílvia! Desculpa a demora, só agora percebi que tinha o teu comentário por responder. Sou seguidora do teu blog há anos, adoro! Tenho como tu, um afecto pelas coisas e um fraco por velharias. Não é fácil. É importante seguir a ordem e despejar cada categoria no chão.. é toda uma nova perspectiva, e daí escolher o que é importante guardar. Aos poucos vais começando a esvaziar gavetas, prateleiras e vais acabar por ter alguns móveis vazios. Nessa altura poderás escolher os que fazem ainda sentido e dar outro destino aos outros. Está a correr bem? O próximo post será sobre esse tema e partilharei mais da minha experência e também do feedback que vou tendo. beijinhos e não desistas 🙂

COMENTAR