CLEAN BLITZ OU COMO TER CASA ARRUMADA EM 20 MINUTOS


Casa destralhada ou não, há sempre alturas em que o caos se instala quando há crianças em casa. Almofadas do sofá nos quartos, edredons na sala, fortes debaixo da mesa, restos de lã, slime pela bancada na cozinha. Roupa por todo lado, armário da mãe invadido, maquilhagem espalhada.

A somar, ainda há roupa na corda, jantar a preparar, panelas por lavar. E a bem da sanidade geral, um livro para ler, uma manta no sofá, um sol lá fora para curtir, uma bola para jogar.

Já todos estivemos aí. Já todos fomos com falinhas mansas. Já apelámos ao espírito de equipa. Já todos nos exaltámos. Já todos desesperámos.

E se arrumar a casa, quarto, brinquedos, roupa não fosse uma seca? E se não precisássemos de uma casa a brilhar e apenas quiséssemos abrir caminho para descansar, brincar ou ter amigos lá em casa.

E se fosse um jogo em que toda a família participasse? Um sprint em vez de uma maratona com partida, largada lagarta e fugida? E uma meta a 20 minutos? E já agora, com música a bombar?

As regras de um clean blitz são simples. Cada um escolhe um ponto de partida na casa. Ao soar a partida e a música começar, cabe a cada um “varrer” com o que tem pela frente e avançando de divisão em divisão. Não interessa se se tratam das minhas, tuas, nossas meias a um canto. O tema aqui é speed, limpar e arrumar o mais que se puder no menor tempo possível. Quando soar o alarme é game over mesmo, hora de partir para outra e celebrar, esteja o que estiver feito ou por fazer.

Para ajudar com os mais pequenos, um avental ou pano dá o empurrão extra.

A primeira vez que fizemos o clean blitz cá em casa, a Alice era pequenina e mudou de roupa 3 vezes para as limpezas, de tal maneira levou a sério a brincadeira. Escusado dizer que não arrumou nada. Mas isso pouco importa. Importtante é a adesão e fazer com que a arrumação entre como algo leve que, feito por todos, seja rápido e divertido.

O clean blitz foi uma ideia que agarrei do slow family living – livro que adoro e recomendo – e que temos adaptado ao longo do tempo. Das músicas cá de casa há sempre algumas que ouvimos mais vezes neste jogo e arrumei-as numa playlist para vocês.

Depois contem se o jogo ajudou, sim? Adorava saber se funciona noutras casas tão bem como na nossa!

 

É designer gráfica. Vive em Lisboa e tem dois filhos. Gosta de dias que se desenrolam sem planos, de caminhar, de fotografia e não passa sem doses maciças de sol. Da vontade de abrir caminho para uma vida mais simples, em sintonia com o seu ritmo e o da natureza, inicia o blogue Slower em 2015. Dois anos depois, abre a casa a colaborações e torna o Slower numa comunidade participativa. Acredita que um dia ainda vai fazer um inter-rail com os filhos e que eles vão gostar. É uma optimista.

COMENTAR