#VIVERDEVAGAR · DEZEMBRO


O primeiro #viverdevagar do ano, ainda com um pé em 2017, trouxe-nos:

1. Amor em riso e abraços.

@ricardo_mendes_almeida

LER MAIS

É designer gráfica. Vive em Lisboa e tem dois filhos. Gosta de dias que se desenrolam sem planos, de caminhar, de fotografia e não passa sem doses maciças de sol. Da vontade de abrir caminho para uma vida mais simples, em sintonia com o seu ritmo e o da natureza, inicia o blogue Slower em 2015. Dois anos depois, abre a casa a colaborações e torna o Slower numa comunidade participativa. Acredita que um dia ainda vai fazer um inter-rail com os filhos e que eles vão gostar. É uma optimista.

#VIVERDEVAGAR · NOVEMBRO


@earth.sustainable.living

O #viverdevagar Novembro, vem mais cedo do que o costume. Na verdade, tento sempre que venha no início do mês seguinte, mas não tenho conseguido. Aproveitei o fim-de-semana alargado, antes da confusão do Natal começar, para adiantar “serviço” aqui no slower e noutras frentes.

LER MAIS

É designer gráfica. Vive em Lisboa e tem dois filhos. Gosta de dias que se desenrolam sem planos, de caminhar, de fotografia e não passa sem doses maciças de sol. Da vontade de abrir caminho para uma vida mais simples, em sintonia com o seu ritmo e o da natureza, inicia o blogue Slower em 2015. Dois anos depois, abre a casa a colaborações e torna o Slower numa comunidade participativa. Acredita que um dia ainda vai fazer um inter-rail com os filhos e que eles vão gostar. É uma optimista.

#VIVERDEVAGAR · OUTUBRO


@lucianevalles

Andava a empurrar com a barriga este #viverdevagar. Não sabia por onde começar a falar do Outubro que passou. Depois ocorreu-me o óbvio. Pelo principio, com o que vai cá dentro, mesmo que confuso e crú.

Passo os olhos pelas vossas fotos deste mês e vejo alegria, natureza, pausa, cores e sabores de outono. Passo os olhos pelas minhas e pergunto-me como é que Outubro cabe nelas. Como é que o meu Outubro intenso, acelerado e com muito pouco vagar, coube nestas minhas fotos silenciosas e tranquilas?

LER MAIS

É designer gráfica. Vive em Lisboa e tem dois filhos. Gosta de dias que se desenrolam sem planos, de caminhar, de fotografia e não passa sem doses maciças de sol. Da vontade de abrir caminho para uma vida mais simples, em sintonia com o seu ritmo e o da natureza, inicia o blogue Slower em 2015. Dois anos depois, abre a casa a colaborações e torna o Slower numa comunidade participativa. Acredita que um dia ainda vai fazer um inter-rail com os filhos e que eles vão gostar. É uma optimista.

#VIVERDEVAGAR · SETEMBRO


@earth.sustainable.living

Setembro, da luz dourada, dos dias mais curtos, das praias vazias, de voltar a casa. É um dos meses mais importantes para mim e, creio que para muitos de vocês também. O dos recomeços, dos novos projectos e intenções renovadas.

Como sempre, foi inspirador seguir as vossas partilhas de fotografias e momentos #viverdevagar. Dá um gozo do caraças ver esta galeria e comunidade crescer.LER MAIS

É designer gráfica. Vive em Lisboa e tem dois filhos. Gosta de dias que se desenrolam sem planos, de caminhar, de fotografia e não passa sem doses maciças de sol. Da vontade de abrir caminho para uma vida mais simples, em sintonia com o seu ritmo e o da natureza, inicia o blogue Slower em 2015. Dois anos depois, abre a casa a colaborações e torna o Slower numa comunidade participativa. Acredita que um dia ainda vai fazer um inter-rail com os filhos e que eles vão gostar. É uma optimista.

#VIVERDEVAGAR · AGOSTO


@andreiacostahandmade

Agosto vai longe. Passou com vagar, como que se quer, e a galeria #viverdevagar encheu-se dos vossos bons momentos slow. Gozar o parque até escurecer, jantares na rua, juntar a família, muitos mergulhos, hortas florescentes e momentos de pausa.

Para mim, que trabalhei todo o mês, foi tempo de gozar a cidade vazia, fins-de-semana a vadiar e dias sem crianças. Umas quase-férias, na verdade e, foi com gosto que fui acompanhando as vossas.

Para quem chega agora agora ao slower, uma breve explicação: o desafio #viverdevagar no instagram é um convite que a Maria e eu vos fazemos, a registar, valorizar e partilhar os vossos momentos slow.LER MAIS

É designer gráfica. Vive em Lisboa e tem dois filhos. Gosta de dias que se desenrolam sem planos, de caminhar, de fotografia e não passa sem doses maciças de sol. Da vontade de abrir caminho para uma vida mais simples, em sintonia com o seu ritmo e o da natureza, inicia o blogue Slower em 2015. Dois anos depois, abre a casa a colaborações e torna o Slower numa comunidade participativa. Acredita que um dia ainda vai fazer um inter-rail com os filhos e que eles vão gostar. É uma optimista.

#VIVER DEVAGAR . JULHO


@alexandra__palma

Passou um mês desde que o desafio #viverdevagar foi lançado e tem sido tão bom ver esta galeria crescer e crescer! Cerca de 600 fotografias com este hashtag, de partilha de momentos slow e onde podemos encontrar uma comunidade de pessoas que querem viver de forma simples e mais devagar. Obrigada por participarem!

Como prometido, aqui fica uma selecção – díficil, digo já – dos vossos dias com sabor a verão, cerejas, banhos no tanque, ameixas, campos dourados, ronha e hortas abundantes.

LER MAIS

É designer gráfica. Vive em Lisboa e tem dois filhos. Gosta de dias que se desenrolam sem planos, de caminhar, de fotografia e não passa sem doses maciças de sol. Da vontade de abrir caminho para uma vida mais simples, em sintonia com o seu ritmo e o da natureza, inicia o blogue Slower em 2015. Dois anos depois, abre a casa a colaborações e torna o Slower numa comunidade participativa. Acredita que um dia ainda vai fazer um inter-rail com os filhos e que eles vão gostar. É uma optimista.

#VIVERDEVAGAR, UM DESAFIO


Aconteceu-me há uns dias e talvez já vos tenha acontecido a vocês também: Tive um jantar e, apesar de ter lá passado algumas horas, não estive verdadeiramente presente. Porque o telefone estava ali à mão, porque a vista pedia umas fotos, porque o corpo estava cansado e a cabeça noutro sitio.

Junho é sempre o meu mês mais esperado, com promessas de calor, festa, rua e férias da escola. Sei de antemão que chego a Julho de coração cheio, mas de gatas. Talvez tenha sido do cansaço? Ou o ter tido um dia desses, de coração cheio, que me fez estar longe quando a noite chegou?

Disseram-me: não estás cá. Sorri. E não me senti muito bem comigo. Não só não aproveitei a companhia, como também não retribuí. Talvez, na verdade, tivesse sido melhor dizer não a uma ou outra coisa, em vez de tentar ir a todas.LER MAIS

É designer gráfica. Vive em Lisboa e tem dois filhos. Gosta de dias que se desenrolam sem planos, de caminhar, de fotografia e não passa sem doses maciças de sol. Da vontade de abrir caminho para uma vida mais simples, em sintonia com o seu ritmo e o da natureza, inicia o blogue Slower em 2015. Dois anos depois, abre a casa a colaborações e torna o Slower numa comunidade participativa. Acredita que um dia ainda vai fazer um inter-rail com os filhos e que eles vão gostar. É uma optimista.