2017 E UM NOVO ANO


2017 foi mais uma vez, um ano de desafios. Muito compensador, mas também puxado, especialmente nos últimos meses. Estes últimos dias, offline, foram, por isso, importantes para descansar, trazer perspectiva e renovar energias. Espero que tenham encontrado tempo para fazer o mesmo.

Dá-me um grande gozo, cultivar este canto do Slower, apesar de nem sempre ser fácil conciliar com um emprego a tempo inteiro, duas crianças (ainda que não as tenha todo o tempo comigo) e mais recentemente com o não vamos esquecer. Mas quando acordo de manhã, é o que me mais me apetece fazer. Vir para aqui escrever, pensar em oficinas e tantas outras coisas que nem conto.

Ao mesmo tempo, também há uma vida para além do “fazer” e de projectos, que se quer simples e boa. Com tempo para as pessoas, para dançar, dar mergulhos no mar e para nos cuidarmos. E às vezes parece um contra-senso, escrever sobre simplicidade e viver devagar quando tenho tantas bolas no ar… Mas também sei que, se as consigo não deixar cair, mais coisa menos coisa, é precisamente porque em muitos aspectos escolho a tal simplicidade e frugalidade.

E é sobre este tema que gostava que nos debruçássemos este ano, em favor da sustentabilidade. Não só a do ambiente, mas sobretudo a nossa. A sustentabilidade da nossa vida. A arrancar em Janeiro com alguns artigos mais de fundo, que nos façam questionar o que escolhemos para nós. E depois, ao longo do ano com ideias práticas sobre simplificar o nosso tempo, horários, compromissos e a casa.

Queria deixar um agradecimento sentido a todos que por aqui passaram, deixaram um gosto, um comentário, enviaram um email, leram o livro da Maria, partilharam os seus momentos #viverdevagar, participaram em 2 Mercados de Trocas, juntaram-se a nós para amassar pão ou dar nós de macramé, partilharam a sua mesa nos setes dias sete pratos ou apostaram que 2018 seria um Ano Mágico. Foi um ano cheio e foi bom demais contar com a vossa companhia!

Quero também relembrar que o Slower é vosso, uma casa aberta onde espero que se sintam bem e onde podem fazer parte da conversa, contribuíndo com temas e textos vossos. Tenho a certeza que todos poderíamos aprender com as vossas experiências.

E finalmente, um agradecimento muito especial também a todos os que não esqueceram e que, connosco, têm apoiado as famílias de Covas e Vila Nova de Oliveirinha. Com a vossa ajuda, entregámos 25 motoserras, enxadas, carrinhos de mão, 153 cabazes de Natal e o material de construção para o primeiro barracão. Ainda há muito a fazer, mas graças a vocês, já não falta tudo!

Desejo-vos um ano de 2018 cheio de luz e coisas boas. Até já!
Filipa

É designer gráfica. Vive em Lisboa e tem dois filhos. Gosta de dias que se desenrolam sem planos, de caminhar, de fotografia e não passa sem doses maciças de sol. Da vontade de abrir caminho para uma vida mais simples, em sintonia com o seu ritmo e o da natureza, inicia o blogue Slower em 2015. Dois anos depois, abre a casa a colaborações e torna o Slower numa comunidade participativa. Acredita que um dia ainda vai fazer um inter-rail com os filhos e que eles vão gostar. É uma optimista.

PARTILHAR Tweet about this on TwitterShare on FacebookPin on PinterestGoogle+Email to someone

COMENTAR